Buscar
  • Homero Ferreira

Verão das águas e ZCAS



A climatologia da região tropical e subtropical de nosso país segue um ciclo anual marcado por períodos de intensas e frequentes chuvas que ocorrem sobre a região Centro-Oeste e Sudeste do Brasil entre os meses de dezembro e fevereiro. Nesse período é comum observar uma característica marcante do clima da América do Sul durante o verão: a formação das ZCAS, Zonas de Convergência do Atlântico Sul. A ZCAS é formada por grandes massas de nebulosidade e chuvas que vem desde a Amazônia até a região Sudeste do Brasil, podendo avançar também sobre o Oceano Atlântico.

A intensidade e circulação das ZCAS sofrem variações anuais que são notadas devido as suas consequências socioambientais com o qual temos que lidar. A influência das ZCAS pode, por exemplo, ser responsável por eventos climáticos que causam desastres como enchentes, inundações e deslizamentos de terra como as que vem ocorrendo em diversos estados do Brasil e assolaram o sul da Bahia, devido a uma ZCAS com grande intensidade e persistência. Em anos em que as ZCAS se formam com menor intensidade, os menores índices de precipitação podem indicar períodos de estiagem ou má distribuição de chuvas em grande parte do Brasil.

É interessante saber que a formação, intensidade e persistência de uma ZCAS está relacionada e também afeta eventos climáticos em outras regiões do Brasil e América do Sul onde ela não age diretamente. É comum notar, por exemplo, que em anos de maior aquecimento do Oceano Atlântico as ZCAS podem avançar com maior intensidade sobre o oceano levando mais chuvas as regiões litorâneas do Sudeste. Por outro lado, regiões mais ao Sul do país podem passar por períodos de seca devido ao constante avanço de massas de ar frio e secos vindos das baixas latitudes.

Na literatura científica é comum ver referências e paralelos entre as ZCAS e as Monções na região do sudeste asiático, devido a associação desses fenômenos com períodos do ano em que ocorre o aquecimento de regiões tropicais do planeta alterando as áreas de alta e de baixa pressão atm, contribuindo para circulação atmosférica de grandes quantidades de umidade, que são transportadas e precipitam intensamente sobre algumas regiões específicas do planeta anualmente.

Um fenômeno climático tão marcante e importante como a formação das Zonas de Convergência do Atlântico Sul merece ser entendido devido as suas consequências e impactos positivos e negativos tanto para o meio ambiente como para sociedades. Falaremos um pouco mais sobre essas consequências em um novo post, abordando os riscos e impactos das intensas chuvas nesse período do ano para atividades como trekking e escalada. Espero que gostem!


Fontes:


CAVALCANTI, Iracema Fonseca de Albuquerque; FERREIRA, Nelson Jesus; DIAS, Maria Assunção Faus da Silva; SILVA, Maria Gertrudes Alvarez Justi da. Tempo e clima no Brasil. [S.l: s.n.], 2009.

http://www.inpe.br/webelat/homepage/


44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo